Artrite → Tipos, Sintomas, Causas e Tratamento

Quando tudo vai bem, nem nos damos conta da importância do correto funcionamento do corpo para realizar as funções mais simples.

artrite

Resumo Artrite
Também chamado de: Osteoartrite
Sintomas:
  • Dores articulares
  • Inflamação articular
Tratamentos:
  • Suplementação
  • Fisioterapia
  • Injeções
Locais afetados:
  • Joelhos
  • Cotovelos
  • Mãos

Subir uma escada, fazer aquela caminhada matinal ou escrever algumas palavras podem ser hábitos corriqueiros mas que são amplamente prejudicados devido a determinadas condições patológicas.

Tais efeitos são comprometidos por inflamações nas articulações, estruturas responsáveis pela movimentação dos dedos, joelhos e tornozelos, compondo um incrível maquinário cinético.

Esse cenário é típico da artrite, uma doença que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente a partir dos trinta anos.

O que é?

A artrite é um grupo de doenças reumáticas, cuja patologias estão relacionadas à inflamação das articulações do corpo (também conhecidas como “juntas”).

É importante entender que a condição pode levar a danos em outros órgãos além do tecido conjuntivo, comprometendo demais questões anatômicas e fisiológicas.

Sua caracterização se dá por dor, rigidez, perda de função e sintomas de inflamação nas regiões acometidas, prejudicando a qualidade de vida e bem estar do paciente.

Existem diversos tipos de artrite, os quais serão discutidos ao longo deste artigo, como: artrite séptica, psoriática, reativa, espondilite anquilosante e a famosa artrite reumatoide.

Artrite e artrose

confusão entre os termos artrite e artrose costuma ser bastante frequente, devido a similaridade entre seus nomes. Mas é fundamental entender quais são suas diferenças, prezando por um correto diagnóstico.

A artrite (advinda do grego artros, articulação, e do latim ite, inflamação) é caracterizada pela inflamação da articulação, apresentando sintomas como dor, calor e rubor (vermelhidão).

Já a artrose (do grego artros articulação, e do latim ose, desgaste), não pode ser considerada uma doença.

Tal condição se trata do desgaste natural da cartilagem dos ossos que revestem a articulação, sendo um fenômeno de ocorrência comum com o passar dos anos.

Artrite Séptica

A artrite séptica é uma condição bastante séria, que envolve uma infecção bacteriana potente nas articulações. É considerada uma emergência médica com complicações graves para a saúde.

Se não tratada imediatamente, pode levar a perda de função da cartilagem e até mesmo ao choque séptico, provocando óbito.

A partir de uma fonte de infecção pré-existente, as bactérias se alastram pela corrente sanguínea atingindo a articulação e provocando seu inchaço com pus, fator que danifica o osso e suas cartilagens próximas.

Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comuns em bebês de até três anos de idade e adultos.

Em bebês, as infecções originárias costumam ser por Estafilococos, Estreptococos e bactérias responsáveis por casos de pneumonia.

Enquanto que em adultos, advém das causadoras de tuberculose e doença de Lyme.

Seus principais sintomas em bebês, abrangem: imobilidade do membro afetado; febre; irritabilidade geral e choro constante quando a articulação se move.

Já nos adultos, incluem: dor severa na articulação acometida; inflamação e rubor da articulação; imobilidade da região afetada; febre e calafrios.

O tratamento é feito pela administração de antibióticos e medicamentos específicos, variando conforme o organismo causador da infecção.

Medidas paliativas (fisioterapia, imobilização e compressas) também podem ser realizadas, de acordo com as recomendações de cada médico.

Artrite Psoriática

A artrite psoriática é a condição de inflamação das articulações que se assemelha muito à artrite reumatoide, exceto pela ausência da produção de anticorpos característicos para tal situação.

O quadro de artrite pode surgir antes ou depois da erupção cutânea de psoríase, sendo que aproximadamente 30% dos pacientes com a doença acabam apresentando essa forma de atrite.

Além desse fator de risco, portadores do gene HLA-B27 costumam ser afetados, tendo sua causa ainda desconhecida.

O diagnóstico da doença é feito em função dos próprios sintomas. Quando crônica, as articulações podem ficar tão inchadas que provocam deformações e assimetrias ao longo do corpo.

A inflamação pode atingir tendões e, sobretudo articulações próximas das pontas dos dedos das mãos e pés.

A administração de anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs), medicamento antirreumáticos (DMARDs), ciclosporina e inibidores do fator de necrose tumoral (FNT) pode ser feita no decorrer do tratamento.

Artrite Reativa (Síndrome de Reiter)

Tal síndrome costuma ocorrer após uma infecção no organismo, que geralmente está relacionada ao trato digestivo, urinário ou genital dos pacientes.

Após um período de até quatro semanas, pessoas com maior sensibilidade genética podem apresentar sintomas da síndrome, que incluem:

  • Inflamação, dor e rubor das articulações;
  • Dores nas costas e calcanhares;
  • Secreções, lacrimejamento, irritação, vermelhidão e queimação nos olhos;
  • Erupções cutâneas;
  • Perda de peso e fadiga;
  • Inflamação da vagina e colo do útero em mulheres;
  • Secreção e feridas penianas em homens, além de micção frequente;
  • Sensação de ardência ao urinar.

Não existe cura para essa condição, mas é possível realizar tratamento paliativo para alívio dos sintomas principais.

O tratamento indica medicamentos anti inflamatórios não esteroides (AINEs), antibióticos, supressores do sistema imunológico (como Azatioprina), injeções de corticoides e terapias não medicamentosas.

A fisioterapia é muito indicada para recuperar e manter a mobilidade de tais articulações.

Artrite Reumatoide

Como um dos principais tipos de artrite conhecidos, a artrite reumatoide é uma doença inflamatória que pode atingir diferentes articulações ao longo do corpo.

Trata-se de uma doença crônica e autoimune que tende a acometer muito mais mulheres do que homens.

As células do sistema imunológico atacam o tecido sinovial que reveste as articulações, bem como o tecido conjuntivo próximo, causando deformidades e instabilidade da região.

Causas da Artrite

Embora sua causa ainda seja desconhecida, a incidência tende a ser aumentada com a idade (devido ao desgaste constante das articulações), iniciando geralmente a partir dos trinta anos.

Além disso, acredita-se que fatores genéticos e ambientais (como infecções virais) e hábitos negativos como o tabagismo podem desempenhar seu papel para desenvolvimento da doença.

Sintomas

Seus sintomas mais comuns incluem aqueles comuns à qualquer artrite: dor, calor e rubor, sobretudo nas articulações das mãos e punhos – embora possa ocorrer em qualquer articulação do corpo.

As articulações, quando inflamadas, tendem a ser dolorosas e rígidas, principalmente logo ao despertar, onde existem altos períodos de inatividade. Geralmente se mostram sensíveis, quentes e aumentadas.

Como demais sintomas, podemos citar:

  • Cansaço e fraqueza (sobretudo durante a tarde);
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Febre baixa;
  • Curvatura dos dedos anormal (dedo em pescoço de cisne ou botoeira);
  • Nódulos reumatoides (saliências rígidas abaixo da pele);
  • Cistos;
  • Casos raros de vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos);
  • Linfadenopatia (inchaço dos gânglios);
  • Síndrome de Felty (caracterizada por baixa contagem de leucócitos e aumento do baço);
  • Olhos e bocas secas.

Exames

Existem vários exames e sinais que podem ser analisados para diagnosticar a doença, tudo vai depender da análise médica e da situação de cada paciente.

Em geral, todos os casos requerem a avaliação laboratorial do fator reumatoide. Em fases mais precoces da doença, podem ser identificados anticorpos contra filagrina/profilagrina e contra o peptídio citrulinado cíclico (PCC).

Para verificar a atividade da doença, podem ser feitas as análises de provas de atividade inflamatória como VHS e proteína C reativa.

Como exames de imagem, radiografias, tomografias, ultrassonografias e ressonância também podem ser bastante úteis e requisitados pelo reumatologista.

Diagnósticos

Seguindo as indicações do Colégio Americano de Reumatologia, existem parâmetros que podem nos indicar a existência da patologia, além da verificação dos exames clínicos.

Ela será diagnosticada quando pelo menos quatro desses fatores estiverem presentes:

  • Rigidez nas articulações ao acordar, por pelo menos 60 minutos;
  • Artrite em articulações das mãos;
  • Artrite simétrica nas regiões do corpo;
  • Presença de fator reumatoide no sangue;
  • Alterações nas radiografias da mão e punho;
  • Presença de nódulos reumatoides;
  • Artrite em três áreas articulares diferentes.

Tratamento

Como a artrite reumatoide reúne um grupo de sintomas diversificados, seu tratamento acaba envolvendo uma multidisciplinar.

Medidas simples podem ser adotadas para melhorar os hábitos e qualidade de vida do paciente, focando em seu repouso, exercícios, dietas e eliminação de comportamentos prejudiciais, como o hábito de fumar.

A velocidade de progressão da doença é diminuída com o uso de medicamentos antirreumáticos modificadores (DMARDs), que são prescritos assim que ocorre seu diagnóstico.

Além da terapia medicamentosa, tratamentos alternativos como fisioterapias, terapia ocupacional e técnicas de massagem podem ser efetivas na situação.

Casos mais graves, que não respondem ao tratamento medicamentoso, podem ter ajuda com a realização de processo cirúrgico, mas cabe análise rigorosa de cada paciente e sua capacidade funcional.

Artrite Anquilosante

Conhecida por ser um tipo de espondiloartrite, tal condição é muito similar à artrite reumatoide, mas se difere por apresentar fator reumatoide soronegativo.

Diferentemente da artrite reumatoide, sua ocorrência costuma ser muito mais frequente no sexo masculino. O diagnóstico é feito com base nos sintomas, radiografias e reclamações do paciente.

Além da dor prolongada nas articulações, sintomas como dor e rigidez nas costas, assim como inflamação dos olhos (uveíte) costumam ser frequentes, sobretudo nos períodos de crise.

Dactilite (dedos em salsicha), tendinite aquílea, fasciose plantar e tendinite também podem atingir membros posteriores e inferiores.

Para aliviar os sintomas, são prescritos medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e outros bastante conhecidos como o antimetabólito Metotrexato (MTX).

Locais Comuns

  • Bacia

As principais artrites que envolvem a região do quadril são a artrite reumatoide e a espondilite anquilosante.

A inflamação nas articulações da região costumam provocar dores fortes, sobretudo na virilha, coxas e nádegas, sendo agravada no período da manhã.

Sua principal complicação, além da dor em si, é a limitação dos movimentos do paciente, incluindo dificuldades para a realização de simples caminhadas.

  • Região cervical

A dor nas costas advinda de uma inflamação articular é o principal sintoma de ataque na região cervical.

Geralmente ela é observada em homens e se refere a casos de espondilite anquilosante, psoriática ou artrite reativa.

  • Mandíbula

A artrite na articulação temporomandibular (ATM) é comum em casos de artrite reumatoide. Inclui sintomas de edema, dor e limitação dos movimentos mandibulares.

Dependendo da gravidade da limitação, pode levar a um quadro de ancilose em que se faz necessária a realização de cirurgia.

  • Joelho

A inflamação das articulações do joelho costuma ser comum na artrite reumatoide, e são agravadas por fatores como sobrepeso, sexo feminino, envelhecimento e predisposição genética.

  • Dedos

As articulações dos dedos e das mãos costumam ser as mais acometidas por inflamações, sobretudo nos casos de artrite psoriática, artrite reumatoide e espondilite anquilosante.

Por serem estruturas que estão em constante movimento, sua rigidez acaba atrapalhando várias funções do indivíduo, incluindo práticas laborais.

Como tratar

O tratamento dos casos de artrite, seja qual for o tipo, geralmente envolvem profissionais multidisciplinares, como: fisioterapeutas, terapeuta ocupacional, médicos reumatologistas, nutricionistas, dentre outros.

Além das modalidades citadas acima, o paciente também pode receber apoio psicológico e de práticas como a acupuntura, que vão promover seu bem estar tanto físico quanto mental.

O principal objetivo é o tratamento medicamentoso para conter a inflamação e minimizar a dor, bem como medidas para reduzir o desconforto e promover a mobilidade do indivíduo.

Perguntas Frequentes

  • É a mesma coisa que artrose?

Não! A artrite é uma doença crônica inflamatória. Enquanto que a artrose se trata apenas do desgaste da cartilagem das articulações, que é natural no processo de envelhecimento.

Se não for devidamente tratada, a artrite pode evoluir para um quadro de artrose, apresentando perda da cartilagem articular devido à diminuição ocasionada pela inflamação.

Para tratar ambos os casos, embora bastante diversos, é recomendado procurar um médico reumatologista.

  • É uma doença crônica?

Todas as pessoas que sofrem com artrite reumatoide apresentam tal condição na forma crônica, se desenvolvendo por um longo período de tempo.

  • É uma doença autoimune?

A artrite reumatoide é uma doença autoimune que se caracteriza pelo ataque do tecido conjuntivo pelo próprio sistema imunológico do indivíduo.

Ou seja, o sistema imune acaba atacando o tecido conjuntivo “por engano”.

Estudos indicam a possibilidade de que alguns tipos de artrite (como a reumatoide) podem ser mais comuns em mulheres devido à influência hormonal do estrogênio sobre as células de defesa. Mas requerem maior aprofundamento.

  • Tem cura?

Não existe cura para esse tipo de doença, e isso faz com que muitas pessoas acabem abandonando o seu tratamento.

Mas, apesar disso, graças aos avanços médicos e científicos, os tratamentos podem ser efetivos no alívio da dor, promovendo qualidade de vida para o paciente.

Além do uso de terapia tradicional (medicamentos), opções alternativas e que envolvem a mudança de hábitos também costumam ser bastante eficazes.

Write a Comment