O termo Medicina Funcional pode parecer bastante ambíguo. Embora este campo esteja se tornando mais mainstream devido a vozes de grandes médicos elogiando-o como o futuro dos cuidados de saúde, ela ainda é geralmente desconhecida para o público.

O termo e campo da Medicina Funcional refere-se a algo completamente diferente do que conhecemos agora como medicina convencional ou modelo padrão de cuidados. Para entender completamente o que é a medicina funcional, é importante contrastá-la com a medicina convencional.

Tradicionalmente, um médico usa drogas ou hormônios como ferramentas terapêuticas para lidar com disfunção ou doença. Para várias condições, incluindo baixa tireóide, diabetes, pressão arterial elevada, colesterol elevado e assim por diante, o modelo padrão de cuidados geralmente é o mesmo.

O seu médico de clínica geral pode decidir tratá-lo, ou pode optar por encaminhá-lo para um especialista. Um especialista de medicina funcional têm acesso à mesma ferramenta básica: medicação.

O treinamento no modelo padrão de cuidados é diagnosticar uma doença e combinar essa doença com um medicamento correspondente.

O modelo padrão de atendimento funciona bem para doenças agudas, trauma, infecção e emergências. Infelizmente, ele falha miseravelmente no cuidado das doenças crônicas que afetam mais de 50 milhões de brasileiros.

Condições crônicas – tais como problemas alérgicos, digestivos, hormonais, metabólicos e neurológicos – de que a maioria dos brasileiros sofre diariamente, estão encontrando soluções no campo da Medicina Funcional.

Princípios

Então, o que é exatamente a Medicina Funcional e como ela pode ajudar os milhões de americanos lidando com doenças crônicas?

Aqui estão 5 princípios básicos que definem Medicina Funcional:

  1. A Medicina Funcional nos vê como sendo diferentes; geneticamente e bioquimicamente únicos. Este cuidado de saúde personalizado trata o indivíduo, não a doença. Ele suporta os mecanismos de cura normais do corpo, naturalmente, em vez de atacar a doença diretamente.
  2. Medicina Funcional é profundamente baseada na ciência. A pesquisa mais recente nos mostra que o que acontece dentro de nós está conectado em uma rede complicada ou teia de relacionamentos. Compreender essas relações nos permite ver profundamente o funcionamento do corpo.
  3. Seu corpo é inteligente e tem a capacidade de autorregulação, que se expressa através de um equilíbrio dinâmico de todos os seus sistemas corporais.
  4. Seu corpo tem a capacidade de curar e prevenir quase todas as doenças do envelhecimento.
  5. A saúde não é apenas a ausência de doença, mas um estado de imensa vitalidade.

Aqui reside a clara distinção e definição de Medicina Funcional.

Em vez de perguntar, “Que droga combina com esta doença?”,  a medicina funcional faz as perguntas vitais que poucos médicos convencionais perguntam: “Por que você tem esse problema em primeiro lugar?” e “Por que a função foi perdida?” e “O que podemos fazer para restaurar a função?”

Em outras palavras, a Medicina Funcional procura encontrar a causa raiz ou mecanismo envolvido com qualquer perda de função, o que, em última análise, revela por que um conjunto de sintomas está lá, em primeiro lugar, ou por que o paciente tem um rótulo particular da doença.