Guia da Melatonina → Benefícios, Funcionamento e Doses

Cérebro
Conheça melhor esse hormônio produzido pelo próprio corpo humano, e como o seu consumo pode ajudar na saúde e trazer diversos benefícios.
Manuela Jobst Nutricionista Clínica

A melatonina que está presente no corpo humano é um hormônio que o corpo produz e é responsável por regular o ciclo circadiano, auxiliando no seu bom funcionamento e equilíbrio.

Além dessa função, age como um antioxidante, e também, possui relação com a regulação e equilíbrio do metabolismo. Por isso, é vital para o bom funcionamento de vários órgãos.

Assim como muitos outros hormônios, é comum acontecer insuficiência de melatonina no corpo, o que pode acarretar em alguns problemas de médio a longo prazo ao corpo.

Por isso, uma alimentação adequada, prática de exercícios físicos e suplementação, que ajudam na reposição no organismo, podem ser bastante eficientes para suprir essa demanda. 

Ao longo deste artigo, será apresentado mais informações sobre a melatonina e sua importância para o corpo humano e o seu bom funcionamento, portanto, continue a leitura e fique sabendo de tudo sobre ela.

O que é melatonina?

Como já mencionado, a melatonina é um hormônio natural produzido pelo corpo. Sua formação acontece na glândula pineal, que se ativa somente sem a presença de estímulos de iluminação, ou seja, a produção da melatonina ocorre somente à noite, servindo como um indutor e estimulante ao sono.

Para que ocorra de forma natural, é importante que na hora de dormir, se tenha um ambiente agradável e propício, com baixa ou nenhuma iluminação, sem ruídos ou sons, assim, a melatonina começa a fazer o seu trabalho no organismo. 

Com o passar dos anos, a sua produção cai consideravelmente, fazendo com que em adultos e idosos, aconteçam com mais frequência problemas e distúrbios de sono, como a insônia.

Para que serve?

A melatonina é conhecida por ser o "hormônio do sono", ou seja, ela faz o trabalho de regular as funções do corpo enquanto se está acordado, e depois, induzir o indivíduo a dormir, chega no seu nível máximo de produção e funcionamento enquanto se está adormecido. Mas a carência deste hormônio, pode acarretar em problemas relacionados ao sono.

Para minimizar os problemas e distúrbios do sono, existem alguns alimentos e suplementos que podem servir de apoio, aumentando assim, a quantidade de melatonina no organismo.

Por ser considerado “ natural “, sua suplementação possui menos riscos quanto a remédios fortes para induzir ao sono, mas da mesma forma, a sua utilização só deve ser feita com indicação médica

Alguns fatores podem alterar a produção natural de melatonina, como idade, problemas de saúde, medicamentos, exposição em excesso em lugares com muita luz e pessoas com deficiência visual. A reposição de melatonina é mais indicada em alguns casos específicos, como:

Pessoas que trabalham em turnos noturnos:
Pois precisam modificar totalmente seus hábitos de sono, indo contra ao que o organismo está habitado e foi feito para produzir naturalmente.
Pessoas com deficiência de melatonina e idosos:
Com a idade é normal que a produção natural de melatonina caia drasticamente, portanto, a reposição através da alimentação ou suplementos, pode ajudar em efeitos positivos.
Pessoas que sofrem com distúrbios de sono ou insônia:
A reposição de melatonina, pode ser bastante eficaz nesses casos, já que irá induzir o corpo a relaxar, servindo de apoio ao próprio metabolismo que não está conseguindo fazer de forma natural.
Pessoas com algum grau de cegueira:
Devido a má percepção que essas pessoas podem ter quanto a luminosidade, em consequência, a produção desse hormônio é bastante prejudicada.

Qual a dosagem e como tomar a melatonina?

A dosagem da melatonina em forma de suplemento pode variar de acordo com o grau do problema e a necessidade de cada um.

Lembrando que em todos os casos é importante consultar um especialista na área, para que ele indique a quantidade adequada para cada pessoa, evitando problemas de super dosagens e efeitos colaterais. 

Mas em termos gerais, a dose mais recomendada é a ingestão diária de 1 mg a 5 mg em média. E em todos os casos, não é recomendado o seu uso durante o dia, pois pode provocar sonolência e desregular os níveis normais de sono. 

#1
Para casos de insônia

A recomendação mais comum da melatonina é para tratar insônia. A dose também fica entre um comprimido diário de 1 mg a 5 mg - conforme o peso da pessoa e a recomendação médica - e o seu consumo deve ser durante a noite, entre uma a duas horas antes de repousar.

#2
Para auxiliar no tratamento de enxaqueca

Em muitos casos, a enxaqueca tem ligação direta com noites mal dormidas, insônia e stress em excesso. Então a ingestão de melatonina pode ser um aliado no combate a essas dores constantes de cabeça. Também é recomendada a mesma média de dosagem, sempre no período da noite. 

Benefícios

O suplemento melatonina é um hormônio que proporciona diversos benefícios para o bem-estar e saúde, como:


Melhora a qualidade do sono: Essa é a sua principal função, existem muitos estudos que mostram que a ingestão de suplementos ou alimentos que possuem melatonina, ajudam a tratar distúrbios do sono;
Auxilia em problemas estomacais: A melatonina também auxilia na redução do excesso da produção de ácido no estômago, e ajuda no relaxamento do refluxo gástrico e no esófago, graças a liberação da substância conhecida como óxido nítrico, que induz ao relaxamento desses órgãos;
Ajuda no combate a resistência à insulina: Por conter grandes quantidades de antioxidante, ajuda na regularização e com uma dieta adequada, aumenta a resposta ligada à insulina;
Fortalece o sistema imunológico: Como possui ação antioxidante, ajuda no controle e na prevenção de doenças que têm ligação ao sistema nervoso, e age também no cérebro, sendo útil no tratamento de algumas doenças crônicas;
Ajuda em alguns problemas e disfunções hormonais: Como por exemplo, em mulheres é bem comum encontrar disfunções como a síndrome dos ovários policísticos (SOP), e a melatonina, pode servir como auxílio no tratamento, ajudando na regularização dos hormônios responsáveis por essa disfunção;
Pode ajudar em problemas de queda de cabelo: Existem alguns estudos que mostraram que a ingestão da melatonina serve como aliado para melhorar a circulação sanguínea no local, favorecendo e estimulando o bulbo capilar.

Perguntas frequentes

Veja as dúvidas mais frequentes sobre a melatonina:

1
Quais os alimentos que contém melatonina?

Alguns dos principais alimentos que pode-se encontrar com quantidades consideráveis de melatonina, são em frutas cítricas como o abacaxi, laranja, ameixa seca, aveia, grão-de-bico, nozes, dentre outros.

2
Existem efeitos colaterais?

Sim, em casos de superdosagem, podem haver efeitos como dor de cabeça, tontura, náuseas, sonolência durante o dia, portanto, é importante não se automedicar e procurar um médico.

3
Em quanto tempo a melatonina faz efeito?

Na maioria dos casos, pode-se perceber os efeitos nos primeiros 30 minutos, mas deve-se ter atenção no horário de consumi-lo, optando por tomar a noite.

4
Há contra indicações?

Não é recomendado o uso de melatonina em mulheres grávidas, e lactantes, ou em pessoas alérgicas a algum componente da formulação.